HISTORIA DE DAR MEDO NA SEGURANÇA PÚBLICA DA BAHIA.

O comandante da Polícia Militar, coronel Nilton Mascarenhas, solicitou, nesta segunda-feira (20), ao governador Jaques Wagner, a exoneração do tenente-coronel PM José Carlos Batista, comandante do 2° BPM/Ilhéus. O fato foi motivado por declarações não autorizadas, prestadas pelo oficial, sobre a destinação do imóvel que foi utilizado até 2003 como residência do comandante do batalhão. Para o cargo foi indicado o tenente-coronel Marcelo Luiz Brandão Teixeira. Foi designado, ainda, o coronel Mozart Santos Lima, comandante do Policiamento da Capital – Atlântico para apurar as afirmações sob a ótica disciplinar e/ou criminal. Histórico Desde 2003, com a criação dos Comandos de Policiamento Regionais, nas cidades de Feira de Santana (Regional Leste), Barreiras (Regional Oeste), Juazeiro (Regional Norte) e Ilhéus (Regional Sul), as antigas casas destinadas às residências dos comandantes dos respectivos batalhões foram transferidas para os comandantes regionais. O QUE ACONTECEU O tenente-coronel José Carlos Batista denunciou o comandante regional sul da Polícia Militar, Ivo Santos, e acabou sofrendo as consequências: foi exonerado do cargo do batalhão-escola em Ilhéus, que terá à frente o tenente-coronel Marcelo Luiz Brandão Teixeira. José Carlos Batista afirmava que o comandante Ivo Santos usa uma residência no Jardim Savoia, em Ilhéus, somente para veranear e destaca policiais 24h para fazer a segurança do imóvel. A casa antes era destinada ao comando do 2º Batalhão de Polícia Militar em Ilhéus, que foi transformado em batalhão-escola no ano passado. A casa pertence ao Governo do Estado e é mantida com o nosso dinheirinho. A denúncia de Batista, feita ao comunicador Vila Nova, gerou mal-estar em Salvador. O comandante-geral da PM, Nilton Mascarenhas, saiu em defesa do colega Ivo Santos e solicitou do governador Jaques Wagner a imediata exoneração de Batista. No que será atendido. O comando-geral da PM explica, via assessoria de comunicação, que Batista deu declarações não-autorizadas sobre o caso e que a mansão no Jardim Savoia, desde 2009, com o fim do comando de policiamento regional em Ilhéus, é destinada ao comandante regional. Ou seja, Batista jogou a m…. no ventilador sem pedir permissão ao comandante. E se pedisse? Resumo da ópera: José Carlos Batista e a família moram numa pousada em Ilhéus, enquanto uma casa ociosa do Estado é reservada para o comando regional. Batista botou o dedo na ferida, acusou Ivo Santos de perseguição e caiu diante do seu superior. Hoje, a assessoria do estado informou que “as antigas casas destinadas às residências dos comandantes dos respectivos batalhões foram transferidas para os comandantes regionais”. Não explica se foi transferida para que os comandantes residam nelas ou apenas façam dela – como diria Batista – imóvel de “veraneio”.

Anúncios

obrigado por ter acessado o nosso blog, a coordenação agradeçe, acesse e fique bem informado.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: