PRIMEIRA DOAÇÃO MÚLTIPLA DE ÓRGÃOS NO HGPV.

PRIMEIRA DOAÇÃO MÚLTIPLA DE ÓRGÃOS NO HGPV

PRIMEIRA DOAÇÃO MÚLTIPLA DE ÓRGÃOS NO HGPV

PRIMEIRA DOAÇÃO MÚLTIPLA DE ÓRGÃOS NO HGPV

PRIMEIRA DOAÇÃO MÚLTIPLA DE ÓRGÃOS NO HGPV

PRIMEIRA DOAÇÃO MÚLTIPLA DE ÓRGÃOS NO HGPV

PRIMEIRA DOAÇÃO MÚLTIPLA DE ÓRGÃOS NO HGPV

4 - captacao_orgaos_hgpv

4 - captacao_orgaos_hgpv

A Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CHIDOTT) do Hospital Geral Prado Valadares em Jequié registrou a primeira doação de múltiplos órgãos, a qual beneficiará pessoas que aguardam com ansiedade na longa fila de espera por um transplante. O trabalho para a retirada dos rins, coração, fígado e córneas de um paciente de 26 anos, vítima de acidente de trânsito, durou 2h30min.
O fechamento do diagnóstico de Morte Encefálica foi realizado por equipe médica especializada do HGPV.
De acordo com o enfermeiro coordenador da CIHDOTT do HGPV, Wagner Farias, a família demonstrou confiança na equipe do hospital e, apesar da dor, decidiu doar os órgãos.
“Depois de diagnosticada a morte cerebral do paciente, os familiares foram comunicados e, prontamente, autorizaram a doação”, conta a enfermeira Agnes Claudine, quem frisou que as estatísticas de doações de órgãos não são melhores devido à falta de informação e conscientização de boa parte da população sobre o assunto.
Uma equipe especializada da Central Estadual de Transplantes de Órgãos, vinculada à Secretaria Estadual de Saúde da Bahia, se deslocou de Salvador em aeronave expressa para fazer a retirada dos órgãos.
A CIHDOTT do HGPV já fechou 6 diagnósticos de Morte Encefálica, 25 abordagens para doação de córneas, sendo 4 positivas, e 5 para múltiplos órgãos com uma positiva, o que nunca havia ocorrido no HGPV e na cidade de Jequié.
O diretor geral do HGPV, Gilmar Vasconcelos é um dos principais incentivadores da CHIDOTT, quem tem acreditado no trabalho da equipe. “Depois da implantação efetiva da CIHDOTT e do Serviço de Neurocirurgia é que o HGPV passou a diagnosticar Morte Encefálica, o que não era realizado anteriormente, também por falta de equipamento específico” disse Gilmar Vasconcelos.
“Os resultados positivos estão aparecendo graças ao empenho de todos e ao trabalho sério e ético de uma comissão intra-hospitalar atuante”, diz Vasconcelos. O diretor geral diz também que o sucesso desse trabalho pode ser mais expressivo com o apoio da imprensa jequieense, divulgando campanhas de sensibilização e as atividades realizadas pelo hospital nesta temática.
Os familiares do doador ainda bastante emocionados pela tragédia que se abateu sobre a sua família, um jovem de 26 anos, demonstrando um gesto de amor, tomaram a decisão de autorizar a doação pela confiança depositada na equipe e no Hospital.
“É importante cada cidadão pensar no assunto, tomar uma decisão a respeito da doação de órgãos e expressar para sua família, a qual será responsável pela autorização ou não”, orienta o coordenador da CIHDOTT do HGPV, Wagner Farias.

 Morte Encefálica

Agravada pela dor da perda de um ente querido, a falta de informação sobre a morte encefálica foi, durante muito tempo, uma barreira para a doação de órgãos no Brasil. Os mitos sobre essa fatalidade, porém, estão chegando ao fim. É o que afirma Ben-Hur Ferraz Neto, presidente da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO).
“Pessoas deixavam de doar por pensarem que a morte encefálica poderia ser reversível. Mas ela é uma morte como outra qualquer. Nos últimos anos, as famílias têm sido bem receptivas à doação”, disse o presidente.  
A morte encefálica é caracterizada pela ausência de reflexos, fluxo sanguíneo e atividades elétricas e metabólicas do tronco cerebral. Ela pode gerar desconfianças por parte de alguns familiares pelo fato do corpo continuar “respirando” e com o coração batendo.
O médico Walter Pereira, conselheiro da ABTO, conta que, nesses casos, alguns reflexos elétricos e nervosos mantêm o coração batendo mesmo após a morte. “Isso pode durar poucas horas, a depender da pessoa. A respiração é mantida por aparelhos, exatamente para que os órgãos daquele doador em potencial sejam mantidos em condições para o transplante”, explica.

obrigado por ter acessado o nosso blog, a coordenação agradeçe, acesse e fique bem informado.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s